Flexão de braço: por que você não consegue fazer?

A flexão de braço tem uma eficiência gigantesca apesar de suas variadas limitações. Sendo um dos exercícios físicos mais antigos, ela é utilizada por pessoas que adotam a calistenia (exercícios utilizando o próprio peso) ou por quem realiza treinos domésticos. Pode ser uma opção de suma importância, mas deve ser realizado da maneira correta.

Isso porque, apesar de ser um exercício de aparente simples execução, possui uma variabilidade bastante expressiva. Desde o iniciante ao avançado, as formas de execução se alternam, tendo efeitos positivos nos resultados ou efeitos colateral, seja de uma boa ou má execução, respectivamente.

Ser praticante de atividades esportivas ou até mesmo frequentar um treinamento militar com certeza já rendeu inúmeras “flexões pagas”. Sem dúvidas é um dos exercícios mais utilizados por uma parcela da população, seja ela atleta ou não, pois não carrega a necessidade de uso de materiais, só requer um pequeno espaço e o peso do próprio corpo.

Utilizada da forma correta e dentro do contexto correto, com toda a certeza a flexão de braço é uma excelente fonte de fortalecimento dos músculos peitorais, do deltoide (ombros) e do tríceps. Um exercício multiarticular como a flexão de braço traz uma alta variabilidade de execução, mas requer que o posicionamento das costas, altura da lombar e firmeza no tronco estejam ajustados e prontos para uma execução correta.

5 benefícios da flexão de braço

A flexão de braço é um exercício bastante complexo, não sua execução, mas sua variada carga positiva para o organismo. Os benefícios são sentidos ao longo do tempo de realização. Utilizá-la como aquecimento, pré-treino ou elevar a dificuldade conforme o passar do tempo promoverá 5 benefícios diretos para o corpo. São eles:

1) Melhora de performance e definição: executado de forma lenta e sentindo-se o peitoral trabalhando na faixa horizontal, é possível perceber definição e auxílio na simetria dos músculos;

2) Reforço nas costas: ao fazer a contração do abdômen durante a execução, o reforço nas costas é sentido, aumentando a força nos músculos da região, beneficiando a postura e a coluna;

3) Melhora da postura: consequentemente o reforço promoverá uma melhora significativa da postura corporal, sendo um exercício ideal para quem sofre de leves desvios nas costas;

4) Flexibilidade aumenta: ao alongar os músculos e tendões, ele possibilita que o corpo se torne mais flexível;

5) Saúde mental: realizado diariamente, a longo prazo poderá ser notado a diminuição da tensão muscular, e consequentemente uma melhoria do estado mental.

5 motivos para fazer flexão de braço

• Ela pode ser feita em qualquer lugar, seja ao acordar, antes do treino, após o treino ou antes de dormir. Um exercício de fácil acesso;

• Dá grande disposição para começar o dia. Acordar, puxar dez flexões e sair do quarto direto para uma ducha é o necessário para um dia revigorante;

• Trabalha, define e alinha o peito, sendo um exercício que pode compreender ainda o tríceps e o deltoide. Ideal para quem treina em casa;

• O peito pode ser o objetivo, mas o tríceps e o ombro podem ser facilmente trabalhados;

• Uma rápida execução de três séries pode ser feita. Não é exaustivo, sendo realizado na medida certa com o peso do próprio corpo;

Análise das execuções

Após notar os benefícios e motivos para realizar a flexão de braço, vejamos as execuções segundo análise minuciosa da posição das mãos e braços. Afinal, por que você pode estar fazendo flexão de braço da forma errada?

Execução tradicional: Mãos alinhadas ao ombro e cotovelos para fora. Descida branda, quadril levemente alto e descida que abrange o peitoral e deltoide isométrico. A execução pode abranger o braço estendido um pouco além da linha dos ombros para um exercício mais avançado;

Execução fechada: As mãos estarão na mesma linha dos ombros, com estes em flexão, os cotovelos estendidos e os punhos em flexão constante. O movimento se dará para uma flexão de cotovelos em 90º, retornando ao movimento inicial. A adução da escápula e a articulação do cotovelo promoverão um trabalho direto do tríceps.

Execução fechada: Os ombros, neste caso, permanecerão em adução, os cotovelos estarão estendidos e as mãos afastadas, e não mais alinhadas ao cotovelo. Desça a uma flexão de 90º em relação ao cotovelo e retorne a posição inicial. Neste específico caso temos o movimento do ombro salientado na posição medial e anterior do deltoide, bem como um trabalho mais acentuado do peitoral e menor dos tríceps.

Dicas para realização correta da flexão de braço

– Sempre contraia o abdômen durante a execução para evitar lesões na região lombar;

– Descidas sempre devagar, bem como as subidas. Faça contagem de dois segundos para subir e também para descer;

– A paciência é uma virtude, sobretudo quando se trata de flexões. De um em um, o peitoral enche o papo; – Busque locais de alto atrito, nada de superfícies escorregadias;

– Se quer uma execução mais avançada, opte por incrementar com bola de pilates, medicineballs, TRX e etc;

Abaixo temos um vídeo para você melhorar a flexão de acordo com seu nível:

Flexão de braço: executada bem, bons resultados aparecem

Basta ter a consciência da boa execução. É preciso mensurar os limites e entender que não é na primeira tentativa que dez repetições serão facilmente realizadas. Procure fazer metas, cuidar da postura e, sobretudo, contrair o abdômen.

É um exercício quase completo e uma excelente opção, para realizar tanto em casa quanto na própria academia. Os benefícios estão ali, as vantagens também e a forma correta de execução está preparada para você. Está esperando o que?

Desça e pague 10, agora!

Deixe uma resposta