parar de roncar

Como parar de roncar e se prevenir dos riscos do ronco

Mesmo sem perceber, o ronco atrapalha muito seu sono e embora seja comum entre as pessoas, ele é um sinal de que nem tudo está bem com sua saúde. Há vários motivos para a existência do ronco e todos são considerados alertas pelos especialistas, que precisam ser investigados. Você ronca? Gostaria de parar de roncar?

A ação do ronco também incomoda as pessoas ao redor, dificultado o sono dependendo da dimensão do ruído provocado. Seja como for, leve, moderado ou intenso, o ronco precisa ser identificado, compreendido e tratado, para proporcionar sono de qualidade para a pessoa que ronca e os que dormem ao seu lado.

Como surge o ronco

O ronco é causado por uma obstrução das vias respiratórias superiores enquanto a pessoa dorme. Pelo estreitamento e obstrução, o ar tem dificuldade de passar e acaba causando a vibração que gera o ronco.

O único tipo de ronco que não é considerado patológico é quando a pessoa dorme de costas virada para cima, chamada de decúbito dorsal, onde o peito é pressionado pelo peso corporal, a garganta fica mais flácida e a língua acaba caindo para trás. O ruído costuma ser leve e para quando a pessoa sai dessa posição.

Até algumas décadas, o ronco era visto como sinônimo de boa saúde, até que a ciência começou a estudar suas causas e detectou exatamente o contrário.

Em muitos casos, o roncador não sabe o que está acontecendo enquanto dorme e não recebe essa informação das pessoas próximas, por puro constrangimento. Quando ele fica sabendo, em geral é durante brincadeiras, e o ronco acaba não sendo levado a sério.

Além de ser péssimo para o próprio sono e das pessoas ao redor, o ronco acaba criando um comportamento diurno negativo, exatamente pela má qualidade do sono. Logo, só mesmo uma consulta médica para identificar o problema e atacá-lo com eficiência.

Como parar de roncar

Como o ronco é consequência de alguma doença ou maus hábitos, após identificar suas causas é possível acabar com ele. Uma delas é a obesidade ou excesso de gorduras em algumas partes do corpo.

A gordura se acumula no abdômen e na região do pescoço, dificultando muito a respiração e fazendo com que o esforço extra de puxar o ar externo cause o ruído do ronco.

Para parar de roncar nesse caso precisa fazer atividades física tanto para queima de gordura como para melhorar as vias respiratórias.

A alimentação é importante para perda de gordura como pela qualidade do sono, a alimentação pode interferir muito na qualidade do seu sono.

Quando o ronco é gerado pela apneia do sono, é preciso tratá-la para que o ruído cesse. Da mesma forma que o consumo excessivo de álcool, que gera um afrouxamento excessivo dos músculos, inclusive os do pescoço, causando o ronco. Parar de beber ou diminuir o ritmo agirá imediatamente na qualidade do sono.

Doenças respiratórias como gripe, resfriado, asma, bronquite, rinite alérgica entre outras contribuem muito para o surgimento do ronco. Evitar que elas se manifestem através da ingestão de vitamina C e outras que fortalecem o sistema imunológico e evitar aglomerações ajudam a diminuir ou evitar o ronco.

Outras situações que provocam o ronco são a formação da arcada dentária e o desvio do septo nasal.

Na hora de dormir, procure ir para a cama relaxado, com roupas confortáveis e travesseiros médios, sem usar os que acabam levantando muito a cabeça e consequentemente pressionando o pescoço. A posição que você dorme pode ajudar a parar de roncar, prefira a posição lateral à de barriga para cima ou, pior ainda, para baixo.

O que é apneia do sono?

A apneia do sono afeta uma a cada cinco mulheres e três a cada dez homens, tornando-se mais comum do parece.

Muitas vezes as pessoas com essa doença só a percebem quando indicadas por alguém ou após sofrer as consequências do problema.

Ela é a completa obstrução do fluxo de ar para os pulmões durante o sono, o que faz o cérebro despertar para que a respiração volte ao normal.

Em geral a pessoa não percebe o que aconteceu e nem que rapidamente teve o sono interrompido, a não ser quando acorda muito cansada pelos diversos rompimentos que teve. Há situações onde acontecem mais de 50 interrupções momentâneas, em casos críticos de apneia.

O ronco surge quando acontece a apneia e a obstrução do fluxo de ar, sendo uma característica da doença.

O mais comum para causa da apneia são fatores físicos como obesidade, fatores genéticos e anatômicos. Pessoas com desproporções faciais , como queixo voltado para trás, acabam tendo a ida da língua na direção da garganta. Surge também com o aumento das amígdalas e adenoide ou algum tipo de obstrução nasal.

Quando muitas pessoas da mesma família sofrem de apneia, ela é considerada genética. Já o excesso de peso pode acumular gordura ao redor do pescoço, no tórax e abdômen, impedindo que haja qualidade na passagem de ar para os pulmões.

Há ainda a apneia causada pelo refluxo gastroesofágico, o uso excessivo de álcool, de medicamentos com benzodiazepínicos ou relaxantes musculares e cigarros.

Doenças como asma, encefalite, meningite, pneumonia, parada cardíaca, arritmia cardíaca, AVC, convulsões, sufocamentos e overdose podem causar apneia do sono temporária.

Dessa forma, pessoas obesas, com pescoços mais curtos e grossos, idade avançada, muito álcool, tabagismo e uso de tranquilizantes são considerados fatores de risco. Logo, quando a pessoa identifica que o seu sono está prejudicado, precisa procurar ajuda médica para identificar os motivos.

Porém, não existem medicamentos que podem curar a apneia e sim aqueles que atacam sua causa.

Agora você sabe como parar de roncar ou diminuir suas causas. Gostou desse artigo? Então compartilhe!

Deixe uma resposta